FCC FacebookTwitterYoutube

Logo GOV SC 2019 Colorido

O Palácio Cruz e Sousa, que abriga o Museu Histórico de Santa Catarina, foi palco na noite desta quarta-feira (24) da entrega da Medalha de Mérito Cultural Cruz e Sousa. A cerimônia ocorreu no mesmo dia em que se comemoram 160 anos de nascimento do poeta simbolista que dá nome à honraria e também ao edifício.

:: Confira fotos da noite

A comenda foi entregue a oito agraciados, escolhidos pelo Conselho Estadual de Cultura (CEC) após indicação da sociedade civil mediante consulta pública realizada pela internet. Foram homenageados nesta edição: Aliduino Zanella (Patrimônio); Jeruse Maria Romão (Letras); João Antônio Schmitz (Cultura Popular); Jorge Luiz Schröder (Artes Visuais); Marco Aurélio da Cruz Souza (Dança); Rosilda Mara Rodrigues Moroso (Letras); Daniel Lucena - in memoriam(Música) e Banda Dazaranha - pessoa jurídica (Música).

"Santa Catarina tem uma produção cultural riquíssima e tem que continuar sendo valorizada por isso. É uma emoção muito grande fazer parte de uma noite como essa", afirmou Edinho Lemos, presidente da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), que no ato representou o governador Carlos Moisés.

Quem também não escondeu a emoção durante a solenidade foi Emilene Cruz e Sousa, trineta do poeta simbolista. "É perceptível por mim e pela minha família o valor histórico-cultural e as virtudes de Cruz e Sousa aqui na Ilha. Isso me preenche de alegria. Vocês não têm noção nem dimensão de como me sinto feliz em participar de um evento como este", disse ela, que acompanhou a entrega da honraria pela primeira vez. 

Conheça mais sobre os agraciados pela Medalha Cruz e Sousa em 2021 no vídeo abaixo:



Sobre Cruz e Sousa

João da Cruz e Sousa (1861-1898) foi um poeta brasileiro. Com suas obras Missal (prosa) e Broquéis (poesia), publicadas em 1893, foi precursor do movimento simbolista no Brasil, do qual é o principal expoente. É patrono da Academia Catarinense de Letras, representado na cadeira nº 15.

A Medalha que leva seu nome foi criada em 1994, por meio do decreto nº 4892/94, e tem como objetivo reconhecer importantes feitos em prol do desenvolvimento cultural de Santa Catarina.