FCC FacebookTwitterYoutube

Entre os dias 29 de outubro e 26 de novembro ficará em cartaz, no hall da Biblioteca Pública, a exposição Jornais escolares e estudantis do acervo da Biblioteca Pública de Santa Catarina. A mostra apresenta 44 títulos de jornais editados em cidades catarinenses no período de 1868 a 2012, expostos em doze painéis contendo capas digitalizadas e impressas das publicações. A entrada é gratuita e o horário de visitação é de segunda a sexta-feira das 8h às 19h e no sábado das 8h às 11h45.

A exposição é organizada sob curadoria do bibliotecário Alzemi Machado, que explica que a criação de jornais escolares produzidos por estudantes ou pelo corpo pedagógico das escolas surgiu na Europa a partir da primeira década do Século XX. Um dos primeiros educadores a utilizar o jornal escolar foi o belga Jean-Ovide Decroly, no ano de 1909, quando editou em seu estabelecimento de ensino O Correio da Escola.

Entretanto, foi o educador francês Celestin Freinet (1896-1966) a partir de 1924, que proporcionou grandes contribuições na utilização do jornal impresso como aliado indispensável no processo educacional, ao perceber que as crianças e adolescentes tinham a necessidade de expressar as suas ideias, e quando manifestavam, apresentavam considerável melhora no rendimento. Outro educador e médico de formação, Janusz Korczak (1878-1942), utilizou o jornal em trabalhos junto às crianças pobres na periferia de Varsóvia, alcançando grande êxito escolar.

No Brasil e, particularmente em Desterro, foi editado em janeiro de 1868 o periódico A União: revista litteraria e noticiosa, elaborado pelos alunos do Colégio do Santíssimo Salvador, vinculado à Ordem dos Jesuítas, tornando-se uma das primeiras publicações estudantis em solo brasileiro. Merece destaque também o jornal A Escola, idealizado pelo professor João dos Santos Areão, diretor do Grupo Escolar Jerônimo Coelho na cidade de Laguna. O primeiro número circulou em 1914, sendo editado sob responsabilidade da direção, contando com a colaboração de professores e eventualmente, de alguns alunos. Abordava conteúdos cívicos, patrióticos, higienísticos, excertos de livros escolares, trechos e redações escolhidas por professores, entre outros temas.

Diversos jornais passam a ser editados nos Grupos Escolares, Escola Normal, Escolas Reunidas, Isoladas e Complementares, objetivando cumprir às determinações advindas das reformas escolares, sob a batuta do pensamento escolanovista.

Neste sentido, a exposição tem o propósito de divulgar o acervo da Biblioteca Pública de Santa Catarina e da Hemeroteca Digital Catarinense e, particularmente, os jornais produzidos por estudantes, estabelecimentos escolares, faculdades, entidades estudantis e grupos de alunos, que de forma autoral ou apócrifa, manuscrita, tipográfica, mimeografa ou em off-set, ajudaram a construir a história da imprensa escolar e estudantil em Santa Catarina.

 

Ascom FCC