FCC FacebookTwitterYoutube


As inscrições para o Edital de Cultura 2011 das empresas Eletrobras, que no valor total é de R$ 13,8 milhões, estão abertas de 22/12/2010 a 4/03/2011.

O lançamento do edital foi dia 21 de dezembro, no Jockey Club Brasileiro, no Rio de Janeiro. A novidade deste ano é a inclusão do teatro infanto-juvenil, ao lado do teatro adulto. Além do teatro, os segmentos audiovisual e de patrimônio cultural imaterial estão contemplados no edital.
 
Como em 2010, a Eletrobras e suas subsidárias – Amazonas Energia, Cepel, CGTEE, Chesf, Eletronorte, Eletronuclear, Eletropar, Eletrosul, Furnas e Distribuição Acre, Alagoas, Piauí, Rondônia e Roraima – contemplarão três segmentos: Teatro, Audiovisual e Patrimônio Cultural Imaterial.

Os recursos para o Patrimônio Cultural Imaterial, terceiro segmento em que se divide o edital, são direcionados para o apoio ao inventário, pesquisa, registro, difusão e salvaguarda do patrimônio imaterial brasileiro.

“Consideramos fundamental a preservação do patrimônio imaterial brasileiro, por meio de suas celebrações. São rituais e festas que marcam a vivência coletiva do trabalho, da religiosidade, do entretenimento e de outras práticas da vida social em suas mais diversas formas de expressão”, explica Luiz Augusto Figueira, acrescentando que as celebrações já deverão ser reconhecidas pelas comunidades às quais estão vinculadas e poderão se realizar de maneira gratuita nas ruas, em praças e demais espaços das práticas culturais coletivas que com elas se identifiquem. “Exemplos dessas celebrações são as festas de santos padroeiros, as festas juninas e o carnaval, entre outras práticas sociais consagradas”, exemplifica o executivo da Eletrobras.

 Os interessados só poderão inscrever-se pela internet, no site www.eletrobras.com/editalcultural.

Patrimônio Cultural, Museus e Direitos Humanos, foi o tema norteador do 2º Fórum Estadual de Museus, que aconteceu em Joinville (SC) entre os dias 14 e 16 de junho de 2010, no Centrevento Cau Hansen. Estiveram representados 110 museus, e 48 municípios catarinenses, entre os mais de 200 participantes do Fórum.

Abertura do 2º Fórum Estadual de Museus - 12/06/2010 - Joinville/SC

“Foi um sucesso absoluto, pois discutiu-se as normas para a implantação do inédito sistema estadual de museus, que ligará todos os museus catarinenses e ampliará o acesso da população a estes espaços culturais", diz Marli Fávero, coordenadora do Sistema Estadual de Museus, que funciona na FCC.

Santa Catarina é o quinto estado da federação em número de museus, com 183 no total, atrás apenas de SP, RJ, RS e MG.

O evento possibilitou possibilitou a articulação entre os trabalhadores da área, e a participação efetiva nas iniciativas relacionadas à Política Estadual de Museus, que tem como princípios básicos:

1: Democratização do acesso aos bens culturais no Estado de Santa Catarina;

2: Estabelecer e consolidar as políticas públicas, voltadas para a construção/afirmação das identidades locais;

3: Valorização do Patrimônio Cultural sob a guarda dos museus de Santa Catarina, através de ações de comunicação museológica, gestão pública e pesquisa do mesmo;

4: Respeito à diversidade cultural presente no Estado de Santa Catarina frente às ações homogeneizadoras; 

5: Estabelecimento de políticas de inclusão aos portadores de necessidades especiais.

6: Garantia da participação das comunidades nos processos de preservação (musealização, tombamento, exposição, acervo, pesquisa) do Patrimônio Cultural em Santa Catarina;

7: Estímulo à contratação e à formação de quadro funcional especializado para os museus de Santa Catarina; 

8: Incentivar o desenvolvimento da função educativa dos museus. 

Os participantes puderam acompanhar mesas redondas temáticas, grupos de discussões, debates e, inclusive, a assembléia preparatória para o 4º Fórum Nacional de Museus.

Além disso, as instituições museológicas já cadastradas no SEM/SC, participaram da eleição dos novos representantes do Comitê Gestor do SEM/SC, cuja função está vinculada à criação do Sistema Estadual de Museus – SEM/SC. A Lei 4163, de 29 de março de 2006, destaca a sua finalidade de propor diretrizes e ações para a área museológica, bem como apoiar e acompanhar o desenvolvimento do setor museológico brasileiro. 

Sete instituições foram eleitas por meio de votação entre seus pares. Outras três instituições compõem o Comitê Gestor indicando seus representantes (Fundação Catarinense de Cultura - FCC, Núcleo de Estudos Museológicos - NUMU/UFSC, e Conselho Regional de Museologia - COREM 5ª Região)

Confira as instituições eleitas:

1. Museus Municipais do Estado de Santa Catarina, eleito entre seus pares: Museu do Vinho Mário de Pellegrin (Videira/SC)
 
2. Museus Estaduais do Estado de Santa Catarina, eleito entre seus pares: Museu de Arte de Santa Catarina – MASC (Florianópolis/SC)
 
3. Museus privados ou mistos do Estado de Santa Catarina, eleito entre seus pares: Centro de Memória do Oeste de Santa Catarina – CEOM/UNOCHAPECÓ (Chapecó/SC)
 
4. Representante dos museus federais localizados no Estado de Santa Catarina, eleito entre seus pares: Museu Victor Meirelles (Florianópolis/SC)
 
5. Representante das organizações sociais, museus comunitários, ecomuseus, grupos étnicos e culturais e entidades organizadas que tenham efetiva atuação na área museológica no Estado de Santa Catarina, eleito entre seus pares: Ecomuseu Dr. Agobar Fagundes (Blumenau/SC)
 
6. Escolas e universidades que tenham efetiva atuação na área museológica no Estado de Santa Catarina, eleito entre seus pares:  Centro Universitário Barriga Verde – UNIBAVE (Orleans/SC)
 
7. Representante de museus universitários, eleito entre seus pares:  Museu Universitário do Extremo Sul Catarinense – UNESC (Criciúma/SC):
 
A Carta de Joinville reúniu as deliberações dos participantes dos cinco grupos de discussões, bem como as monções propostas e aprovadas em assembléia e estará disponível em breve no site da Fundação Catarinense de Cultura.
 
O 2º Fórum Estadual de Museus de Santa Catarina é uma realização da Fundação Catarinense de Cultura (FCC) / Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte e Sistema Estadual de Museus (SEM-SC), com parceira da Fundação Cultural de Joinville (FCJ), Instituto Luiz Henrique Schwanke, SDR Joinville e Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM). 
 
Santa Catarina participou da programação do 4º Fórum Nacional de Museus, realizado em Brasília, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, entre os dias 12 e 17 de julho de 2010.
 
Além de convidados internacionais do setor, participaram mais de 1500 pessoas dos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Ceará, Rio de Janeiro e Pará, para discutir o tema Direito à Memória, Direito a Museus.
 
Equipe de profissionais da Fundação Catarinense de Cultura (FCC) representou o estado no e participou da reunião onde foi criada uma comissão para fomentar a criação e a legalização do Sistema Nacional de Museus.
 
O presidente da FCC, Antônio Ubiratan de Alencastro, esteve no evento.
 
Participaram do encontro:
Marli Fávero – Analista técnica e coordenadora do SEM/SC (Sistema Estadual de Museus)
Denise Thomazi – Museu da Imagem e do Som (MIS)
Lygia Helena Neves – Diretora Museu de Arte de SC (MASC)
Maria Helena Barbosa - MASC, representando a REM/SC (Rede de Educadores em Museus)
Christiane Castellen - Responsável técnica do Museu Histórioc de Santa Catarina (MHSC)
Maurício Rafael – Auxiliar técnico do SEM/SC

2º Edital de seleção de pesquisas - A preservação do patrimônio cultural no Brasil

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) está selecionando até o dia 28 de fevereiro projetos de pesquisa sobre a preservação do patrimônio cultural no Brasil. A intenção é apoiar pessoas físicas por meio de concessão de bolsas, fomentando pesquisas sobre ações e políticas de preservação do patrimônio cultural brasileiro.

Serão apoiados 10 (dez) projetos, com bolsas de pesquisa no valor individual total de R$
18.000,00 (dezoito mil reais).

Para ler o edital completo, clique:  BAIXAR

Representantes do segmento brasileiro de Arqueologia estiveram reunidos na tarde desta terça-feira, 10 de agosto, com o ministro da Cultura, Juca Ferreira, procurando estabelecer parceria com o ministério para a inserção da área nas políticas públicas de Cultura.

Solicitaram, também, apoio para aumentar a visibilidade da profissão no cenário nacional.Entre as principais reivindicações do grupo consta o fortalecimento e a ampliação do escopo da Arqueologia no Plano Nacional de Cultura (PNC), além da inclusão da área em instâncias de planejamento e estratégias governamentais tais como o Programa de Aceleração do Crescimento das Cidades Históricas - PAC Cidades Históricas.

Pediram, ainda, apoio para o lançamento de edital de divulgação do conhecimento sobre o patrimônio arqueológico, além de um lugar para a Sociedade de Arqueologia Brasileira (SAB) no Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) e na Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC), entre outras coisas.

O ministro Juca Ferreira reconheceu a importância deste segmento profissional na gestão do patrimônio cultural, principalmente, em ações preventivas de preservação dos bens públicos. Comprometeu-se em viabilizar a elaboração de projetos que incluam o setor nas políticas de Cultura.

Dos itens apresentados pelos arqueólogos, o ministro manifestou especial interesse pela criação de um museu nacional de Arqueologia, em Brasília, e na realização de um mapeamento de todos os sítios arqueológicos do país.

Participaram da reunião o presidente da Sociedade de Arqueologia Brasileira, Eduardo Neves; o representante do Instituto de Arqueologia Brasileiro, Ademar Dias; a representante da Fundação Oswaldo Cruz, Sheila de Souza; além de representantes de departamentos de Arqueologia de várias universidades brasileiras, entre outros presentes.

Os assessores especiais do ministro da Cultura, Fred Maia e Armando Almeida, que companharam a audiência, e também as representantes do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan/MinC), Maria Clara Migliacio e Maria Lúcia Pardi, ficaram responsáveis por futuros contatos com a categoria, no atendimento da pauta de reivindicações