FCC FacebookTwitterYoutube

Logo GOV SC 2019 Colorido

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) realiza, a partir desta segunda-feira, dia 10 de junho, uma oficina de construção de plano de gestão compartilhada, com representantes do Conjunto de Fortificações do Brasil, candidato a Patrimônio Mundial. O evento é resultado de uma parceria entre o Iphan, do Ministério da Cidadania, o Ministério do Turismo, o Ministério da Defesa, a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

A iniciativa é da Superintendência do Iphan em Santa Catarina e do Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização do Instituto, além da participação do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). A programação ocorre até 13 de junho, no Centro Integrado de Cultura, em Florianópolis (SC).

O Conjunto de Fortificações do Brasil reúne 19 fortes e fortalezas de 10 estados, testemunhos do histórico de ocupação, defesa e integração do território nacional. Está entre os bens que integram a Lista Indicativa brasileira a Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O conjunto representa as construções defensivas implantadas no território nacional, nos pontos que serviram para definir as fronteiras marítimas e fluviais do País.

A abertura do evento, na manhã desta segunda-feira, contou com a presença da superintendente do Iphan em Santa Catarina, Liliane Nizolla, do coordenador das Fortalezas da Ilha de SC, iniciativa mantida pela UFSC, Salvador Gomes, do capitão dos Portos de SC, Alexandre Lopes Vianna, da presidente da FCC, Ana Lúcia Coutinho, do diretor do Departamento de Cooperação e Fomento do Iphan, Marcelo Brito, e da diretora do Departamento de Ordenamento do Ministério do Turismo, Silvana Melo do Nascimento.

“Essa troca de experiências, esse intercâmbio junto aos outros estados, é fundamental na busca por esse reconhecimento. É essencial neste caminho cujo objetivo é a valorização do nosso próprio patrimônio”, destacou Liliane Nizolla, superintendente do Iphan, na ocasião. Para Salvador Gomes, é importante a participação dos agentes envolvidos com a candidatura das fortificações. “Embora este seja um patrimônio secular, nosso trabalho está sendo feito no sentido de pensar no seu futuro, de qualificá-lo e mantê-lo como patrimônio”, ressaltou o representante da UFSC na abertura da oficina.

A proteção, conservação e gestão das fortificações serão temas tratados durante as atividades, desenvolvidas a partir dos três pilares de avaliação de uma candidatura a Patrimônio Mundial. O propósito é de, ao final da programação, construir uma proposta de ações para o desenvolvimento da candidatura em relação a todas as fortificações.

Confira a programação completa e mais informações no site do Iphan.

Para conhecer mais sobre as fortificações mantidas pela UFSC, acesse: www.fortalezas.ufsc.br.

Serviço:
O quê: Oficina Construção da Candidatura do Conjunto de Fortificações do Brasil a Patrimônio Mundial
Quando: 10 a 13 de junho de 2019
Onde: Centro Integrado de Cultura – Sala de Cinema (Av. Gov. Irineu Bornhausen, nº 5600, Agronômica, Florianópolis – SC)

(Fonte: Agecom/UFSC)

De 10 a 13 de junho, o Centro Integrado de Cultura recebe a Oficina Construção da Candidatura do Conjunto de Fortificações do Brasil a Patrimônio Mundial. 

O Conjunto de Fortificações do Brasil, candidato a Patrimônio Mundial, reúne 19 fortes e fortalezas de dez estados, testemunhos do histórico de ocupação, defesa e integração do território nacional. Em prol da candidatura, o Departamento de Cooperação e Fomento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desenvolveu a oficina para construção do plano de gestão compartilhada do bem cultural, com representantes de cada uma das fortificações. A iniciativa conta com a Superintendência do Iphan em Santa Catarina e o Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização do Instituto, além da participação do Ministério do Turismo e do Sebrae. 

A proteção, conservação e gestão das fortificações serão temas tratados durante as atividades, desenvolvidas a partir dos três pilares de avaliação de uma candidatura a Patrimônio Mundial. O propósito é de, ao final da programação, construir uma proposta de ações para o desenvolvimento da candidatura em relação a todas as fortificações. Alguns dos bens, como o Forte Príncipe da Beira, em Costa Marques (RO), passam por processos de restauro. Outros recebem exposições, o Forte das Cinco Pontas, no Recife (PE). A proposta é que todos os fortes e fortalezas desenvolvam projetos de uso e sustentabilidade.

A oficina é fruto de uma parceria entre o Iphan, do Ministério da Cidadania, o Ministério do Turismo, o Ministério da Defesa, a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Candidatura a Patrimônio Mundial

O Conjunto de Fortificações do Brasil, composto por 19 fortificações situadas em dez estados brasileiros, está entre os bens que integram a lista indicativa brasileira a Patrimônio Mundial da Unesco. O conjunto representa as construções defensivas implantadas no território nacional, nos pontos que serviram para definir as fronteiras marítimas e fluviais do país. 

A proposta da inscrição na Lista do Patrimônio Mundial é apresentar um conjunto de fortificações, com 19 destes bens do patrimônio cultural selecionados entre dezenas de fortificações luso-brasileiras que marcam a ação no estabelecimento da cultura nacional, representativos das construções defensivas implantadas no território brasileiro, nos pontos que serviram para definir as fronteiras marítimas e fluviais que resultaram no maior país da América Latina: o Brasil.

Mais informações no site www.iphan.gov.br/sc.

 

Confira a programação da oficina:

convite iphan fortificações

 

Falta pouco mais de um mês para o 5º Fórum Catarinense de Museus, que ocorrerá de 15 a 17 de julho em Laguna, e a programação está repleta de atividades voltadas a profissionais de museus, gestores públicos de cultura, educação, estudantes e interessados na discussão sobre patrimônio museal e a sua relação com a sociedade. A agenda conta com duas conferências, uma de abertura e outra de encerramento, ambas com participação de profissionais ligados ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram). O Fórum é uma realização da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), por meio do Sistema Estadual de Museus (SEM/SC), com o apoio da Fundação Lagunense de Cultura.

A conferência de abertura ocorrerá no Cine Teatro Mussi, no dia 15 de julho, das 10h30 às 11h45, e terá como convidado o professor Cícero Antônio Fonseca de Almeida, com mediação do Diretor de Preservação do Patrimônio Cultural da FCC, Diego Minks Rossi Fermo. O tema é Estatuto de Museus: 10 anos do marco regulatório para os museus no Brasil. Cícero é professor de Teoria Museológica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNIRIO) desde 1991, do MBA em Gestão de Museus da UCAM desde 2014, e museólogo no Museu Casa Geyer do Ibram desde abril de 2017.

No último dia do evento, 17 de julho, das 17h às 18h, a educadora museal Fernanda Castro é a convidada da conferência de encerramento do Fórum. O encontro também será no Cine Teatro Mussi e terá como tema A PNEM e a construção participativa de políticas públicas de museus no Brasil, com mediação da arte-educadora do Museu de Arte de Santa Catarina (MASC), Maria Helena Rosa Barbosa. Fernanda Castro é educadora Museal do Museu Castro Maya/IBRAM e membro do Comitê Gestor REM-RJ.

As inscrições para o 5º Fórum Catarinense de Museus são gratuitas e seguem abertas no site oficial do evento: cultura.sc.gov.br/forum-de-museus. A programação completa está disponível também neste endereço.

Mais sobre os conferencistas

Cícero Antônio Fonseca de Almeida: Museólogo e Mestre em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO (1983 e 1999 respectivamente), e doutorando em História, Política e Bens Culturais pelo CPDOC/Fundação Getúlio Vargas. Ocupou funções de gestão no Museu da República (1983-1989 e 1994-1999), a direção-adjunta do Museu Nacional de Belas Artes (2003-2005), a coordenação de Patrimônio Museológico do Instituto Brasileiro de Museus - IBRAM (2009-2012) e a direção do Departamento de Processos Museais do IBRAM (2012 - 2013). Foi Diretor-Executivo do Centro Cultural Justiça Federal em duas gestões (2007-2009 e 2013-2015), e Assessor Técnico do Centro de Memória da Justiça Federal da 2ª Região (2015-2017). Foi membro do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural do IPHAN (2013) e professor do MBA em Gestão Cultural da Universidade Candido Mendes - UCAM (entre 2009 e 2014). Autor de livros e artigos sobre colecionismo e coleções musealizadas, história dos museus, fotografia e teoria museológica. É professor de Teoria Museológica da UNIRIO (desde 1991), do MBA em Gestão de Museus da UCAM (desde 2014), e museólogo no Museu Casa Geyer (desde abril de 2017), do Instituto Brasileiro de Museus.

Fernanda Santana Rabello de Castro: Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005), Especialização Lato sensu em Ensino de História e Cultura da África e do Negro no Brasil pela UCAM (2007), Mestrado em Educação pelo PPGE da Universidade Federal do Rio de Janeiro, na linha de Políticas e Instituições Educacionais e Doutorado em Educação pelo PPG - Educação da Universidade Federal Fluminense, na linha de Filosofia, estética e sociedade. Realizou doutorado sanduíche na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, em Portugal (2017). Foi professora de História no Ensino Fundamental - Secretaria Municipal de Educação de Teresópolis e professora de História nos Ensinos Fundamental e Médio e também na Educação de Jovens e Adultos - Secretaria de Estado de Educação/RJ (2006-2010). É educadora no Museu da Chácara do Céu - IBRAM/RJ e no Museu Histórico Nacional (desde 2010). Coordenou o GT de Redes e Parcerias e integrou a equipe do Programa Nacional de Educação Museal do Instituto Brasileiro de Museus (2012-2018). Coordenou o Curso de Especialização em Educação Museal, da parceria feita entre os Museus Castro Maya, o Museu da República e o Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro/FAETEC (2014-2016). Realiza pesquisas sobre políticas públicas de museus e educação museal, trabalhando com pesquisa de público, avaliação, formação de educadores, elaboração de programas, projetos e ações educativas dos museus em que trabalha. Coordena as atividades da linha de pesquisa Educação Museal: conceitos, história e políticas, vinculada ao grupo Escritas da história em museus: objetos, narrativas e temporalidades no MHN. Integra o Comitê Gestor da Rede de Educadores em Museus e Centros Culturais do Rio de Janeiro (2014-2019). Interessa-se por pesquisas na área de políticas públicas para educação e cultura.

 

Estão abertas as inscrições para a oficina Turismo Cultural e Museus, que fará parte da programação do 5º Fórum Catarinense de Museus. Para participar, basta se inscrever no mesmo formulário disponibilizado no site oficial do evento para as inscrições de participantes no Fórum. As demais oficinas que ocorrerão durante o evento já tiveram todas as vagas preenchidas.

A Oficina de Turismo Cultural será ministrada pela arquiteta e consultora independente do Iphan/Unesco Vanessa Maria Pereira, no Museu Histórico Anita Garibaldi. Durante o encontro, serão abordados a definição e classificação dos tipos de turismo cultural, principais atividades praticadas no setor, o patrimônio cultural material e imaterial como ativos econômicos e o papel dos museus na promoção do desenvolvimento econômico local, a partir das práticas de turismo cultural, estratégias municipais e regionais.

Vanessa Maria Pereira possui mestrado em Urbanismo, História e Arquitetura da Cidade (2008), e graduação em Arquitetura e Urbanismo (2003), ambos pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atuou como professora titular da Faculdade Barddal, professora substituta da UFSC, chefe da Divisão Técnica do IPHAN/SC, chefe do Escritório Técnico do IPHAN, em São Francisco do Sul/SC, e arquiteta e urbanista da empresa Occa Projeto e Incorporação, sendo responsável pelo desenvolvimento e coordenação de projetos de arquitetura e restauração, bem como por estudos urbanísticos. Recentemente, integrou a equipe técnica do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis como Diretora Técnica, Superintendente Adjunta e Superintendente, e da Fundação Catarinense de Cultura, como Diretora de Preservação do Patrimônio Cultural, onde atuou nas áreas de patrimônio material, imaterial, museus e bibliotecas. Atualmente, atua como consultora independente contratada pela UNESCO para desenvolver o Projeto Normas – Bahia para o Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Sobre o evento

O 5º Fórum Catarinense de Museus ocorrerá de 15 a 17 de julho, em Laguna. Dentro da programação oficial do encontro estão previstas, ainda, as oficinas de Gestão de Riscos ao Patrimônio Musealizado (Ministrante: Taís Valente - Ibram), Gestão Museológica (Ministrante: Newton Fabiano Soares) e de Documentação Museológica (Ministrante: Drª Rosana Andrade Dias do Nascimento). As inscrições para estas oficinas já foram encerradas

O evento é organizado pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC), por meio da coordenação do Sistema Estadual de Museus de Santa Catarina (SEM/SC), tendo na atual edição a parceria da Fundação Lagunense de Cultura. O FCM é o maior evento do setor museal catarinense, reunindo profissionais de museus, gestores públicos de cultura, educação, estudantes e interessados na discussão sobre patrimônio museal e a sua relação com a sociedade. Nesta edição, o objetivo é refletir, debater e aprovar o Estatuto Catarinense de Museus.

:: Conheça o site oficial do 5º Fórum Catarinense de Museus

 

Restam poucas vagas para as oficinas que ocorrerão durante o 5º Fórum Catarinense de Museus, de 15 a 17 de julho, em Laguna. Interessados devem se inscrever em uma das três oficinas disponíveis, no mesmo formulário disponibilizado no site oficial do evento para as inscrições de participantes no Fórum.

Dentro da programação oficial do encontro estão previstas as oficinas de Gestão de Riscos ao Patrimônio Musealizado (Ministrante: Taís Valente - Ibram), Gestão Museológica (Ministrante: Newton Fabiano Soares) e de Documentação Museológica (Ministrante: Drª Rosana Andrade Dias do Nascimento). As vagas são limitadas para todas as oficinas.

O 5º Fórum Catarinense de Museus é organizado pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC), por meio da coordenação do Sistema Estadual de Museus de Santa Catarina (SEM/SC), tendo na atual edição a parceria da Fundação Lagunense de Cultura. O FCM é o maior evento do setor museal catarinense, reunindo profissionais de museus, gestores públicos de cultura, educação, estudantes e interessados na discussão sobre patrimônio museal e a sua relação com a sociedade. Nesta edição, o objetivo é refletir, debater e aprovar o Estatuto Catarinense de Museus.

:: Conheça o site oficial do 5º Fórum Catarinense de Museus