FCC FacebookTwitterYoutube

Logo GOV SC 2019 Colorido

A Casa do Poeta Lindolf Bell, em Timbó, recebe até o dia 25 de maio a exposição Fragmentos da Rua, do artista blumenauense do grafite Chamba. Na mostra, latas de spray redesenham os contornos da cidade.  Como protagonista desta ação está Chamba, artista respeitado pelos seus pares e cuja trajetória de mais de 12 anos nas Artes Visuais se confunde com o percurso do próprio grafite em Blumenau. No dia 2 de maio, a partir das 13h30min, Chamba estará grafitando painéis nas dependências externas da Casa do Poeta Lindolf Bell, que serão expostos no Grão Espaço Cultural anexo ao museu. Entre os alunos presentes serão sorteadas 15 vagas para o workshop, que será ministrado pelo artista no Parque Central dia 20 de maio.

Serviço:
O que: Exposição Fragmentos da Rua
Onde: Casa do Poeta Lindolf Bell (Rua Quintino Bocaiúva, 902 - Bairro Quintino - Timbó)
Visitação: até 25 de maio de 2012. De terça-Feira a domingo, das 8h30min às 11h30min e das 13h30min às 17h30min.
Informações: (47) 3399-2074 ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Fonte: Informações da Casa do Poeta Lindofl Bell

A Fundação Cultural de Blumenau, por meio do Museu de Hábitos e Costumes, abre para a visitação pública a exposição O bordado, uma herança cultural - Wandschoner - Panô de Parede, que mostra a arte do bordado, que fazia parte da educação feminina. O Museu fica na Rua XV de Novembro, 25, entrada pela lateral da Rua Alvin Schrader. A visitação é de terça a sexta-feira, das 9h às 17h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 16h. A mostra fica aberta até o fim de julho.

Nas áreas de colonização europeia no sul do Brasil, era comum encontrar nas casas do teuto-brasileiro e ítalo-brasileiro os wandschoner. Esse costume veio na bagagem cultural das mulheres colonizadoras e foi absorvido pelas mulheres das diferentes classes sociais. Costurar, bordar, lavar, passar e cozinhar eram qualidades básicas para a formação de uma boa moça para obter um bom partido, ou seja, um bom casamento.

Os wandschoner, ou simplesmente protetores de parede, são bordados produzidos em tecido que tinham como finalidade decorar o ambiente domiciliar. Os panos bordados eram estrategicamente colocados para proteger, esconder ou guardar panos de mão, guarda-louça, porta fósforos, ou eram pendurados em cima da caixa de lenha para decorar ou esconder uma parede desgastada pelo tempo, no espaço destinado à cozinha.

Agregado ao tecido, o bordado tornou-se objeto de reflexão, pois revela a intenção, o pensamento e os valores considerados pela mulher no momento da escolha para ilustrar e dar vida ao wandschoner que faz parte do seu ambiente familiar. Executados e emoldurados em tecido com bordaduras de linhas em tons azul ou vermelho, estes podiam também ser produzidos em escala menor, em outras tonalidades.

Uma vez escolhido o tema a ser desenvolvido o tecido era riscado com os dizeres que passavam a ilustrar o wandschoner. Os pontos mais usados nessa arte manual era o ponto haste, sombra ou ponto-cruz. Definidos os elementos a serem expostos no pano, frequentemente ao redor das frases escolhidas eram bordados ramos de flores. Os provérbios e mensagens continham pensamentos de cunho religioso, sabedoria e positivismo que alegravam os moradores e as visitas da casa. Os dizeres, de certa forma, ecoavam os valores e as normas da família. Os escritos nas línguas alemã, italiana e portuguesa, evidenciam as semelhanças e as diferenças que emite a linguagem do grupo cultural.

 

Fonte: Informações da Fundação Cultural de Blumenau

A construção de instrumentos musicais de madeira é o enfoque da exposição de maio e junho de 2012, no Museu da Música. Com o tema "As madeiras dos Instrumentos musicais", a mostra tem inicio no dia 2 de maio e se estende até 30 de junho.

Na exposição, o público poderá conferir de perto mais de 30 espécies de madeiras utilizadas na confecção de instrumentos musicais, muitos dos quais fazem parte do acervo do Museu da Música, como violinos, oboés, charamelas e fagotes. As madeiras serão apresentadas em sua forma bruta e algumas das etapas da construção de um instrumento. Também serão expostos fotos e cartazes contando um pouco da história das madeiras, além de vídeos, mostrando profissionais da luteria e os seus instrumentos.

No dia 3 de maio, às 14h, a abertura da exposição contará com um coquetel, apresentações musicais e uma palestra em forma de simpósio com André Passini, Evandro Nardelli e o Luthier de violinos Cristiano Mannes. Na palestra, serão abordados temas como a construção de instrumentos de sopro, características e uso das madeiras e a construção de violinos e instrumentos de cordas friccionadas. Na exposição haverá também mudas de algumas árvores cujas madeiras estarão expostas.

Para celebrar a semana do meio ambiente, no início de junho, as mudas das árvores serão plantadas por alunos que participarem da ação educativa. Na primeira quinzena do mês de junho também será realizada a 3ª Oficina de Construção de Flauta de Bambu. Para grupos que agendarem sua visita serão realizadas também ações educativas durante o período da exposição. Atividades relacionadas à 10ª Semana dos Museus serão realizadas durante a exposição.

Serviço:

O que: Exposição As Madeiras dos Instrumentos Musicais
Onde: Museu da Música - Timbó
Quando: de 3 de maio a 30 de junho de 2012
Informações: (47) 3399-0418

Fonte: Informações do Museu da Música

Será aberto no dia 24 de abril, às 19h, o Pavilhão de Exposição Antropólogo Silvio Coelho dos Santos, na Universidade Federal de Santa Catarina. A solenidade de inauguração do espaço será no Museu de Arqueologia e Etnologia Professor Oswaldo Rodrigues Cabral, no campus da Trindade, em Florianópolis.

Fonte: Com informações do Museu Universitário

Será aberto no dia 3 de maio, às 19h, o 10º Salão Elke Hering Mostra Nacional Contemporânea de Artes Visuais. O evento, promovido pela Fundação Cultural de Blumenau, é um marco na história de Blumenau e região, no que se refere às Artes Visuais, incrementando a produção artística local e nacional, difundindo as artes visuais com objetivos específicos de estimular, documentar, integrar, premiar, disseminar, dialogar e questionar as mais diversas manifestações artísticas contemporâneas.

Entre os artistas selecionados, 50% são representantes do Estado de Santa Catarina, 25% de São Paulo, 20% do Paraná e 5% do Rio Grande do Sul. O Salão Elke Hering é uma bienal de âmbito nacional, que na sua décima edição levará obras de 20 artistas brasileiros à contemplação do público.

Fonte: Com informações da Fundação Cultural de Blumenau