FCC FacebookTwitterYoutube

De 10 a 13 de junho, o Centro Integrado de Cultura recebe a Oficina Construção da Candidatura do Conjunto de Fortificações do Brasil a Patrimônio Mundial. 

O Conjunto de Fortificações do Brasil, candidato a Patrimônio Mundial, reúne 19 fortes e fortalezas de dez estados, testemunhos do histórico de ocupação, defesa e integração do território nacional. Em prol da candidatura, o Departamento de Cooperação e Fomento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desenvolveu a oficina para construção do plano de gestão compartilhada do bem cultural, com representantes de cada uma das fortificações. A iniciativa conta com a Superintendência do Iphan em Santa Catarina e o Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização do Instituto, além da participação do Ministério do Turismo e do Sebrae. 

A proteção, conservação e gestão das fortificações serão temas tratados durante as atividades, desenvolvidas a partir dos três pilares de avaliação de uma candidatura a Patrimônio Mundial. O propósito é de, ao final da programação, construir uma proposta de ações para o desenvolvimento da candidatura em relação a todas as fortificações. Alguns dos bens, como o Forte Príncipe da Beira, em Costa Marques (RO), passam por processos de restauro. Outros recebem exposições, o Forte das Cinco Pontas, no Recife (PE). A proposta é que todos os fortes e fortalezas desenvolvam projetos de uso e sustentabilidade.

A oficina é fruto de uma parceria entre o Iphan, do Ministério da Cidadania, o Ministério do Turismo, o Ministério da Defesa, a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Candidatura a Patrimônio Mundial

O Conjunto de Fortificações do Brasil, composto por 19 fortificações situadas em dez estados brasileiros, está entre os bens que integram a lista indicativa brasileira a Patrimônio Mundial da Unesco. O conjunto representa as construções defensivas implantadas no território nacional, nos pontos que serviram para definir as fronteiras marítimas e fluviais do país. 

A proposta da inscrição na Lista do Patrimônio Mundial é apresentar um conjunto de fortificações, com 19 destes bens do patrimônio cultural selecionados entre dezenas de fortificações luso-brasileiras que marcam a ação no estabelecimento da cultura nacional, representativos das construções defensivas implantadas no território brasileiro, nos pontos que serviram para definir as fronteiras marítimas e fluviais que resultaram no maior país da América Latina: o Brasil.

Mais informações no site www.iphan.gov.br/sc.

 

Confira a programação da oficina:

convite iphan fortificações